logo

VOCÊ ESTÁ EM HOME >

BLOG

Data de publicação: 19/07/2019

MANUTENÇÃO PARA CADA TIPO DE VEÍCULO 🚛🚜🏍🚌🚗

A manutenção é um dos fatores mais importantes na gestão de frotas. Quando esse processo é subestimado, os resultados podem ser catastróficos para a empresa, gerando grandes prejuízos e problemas de produtividade, portanto, a manutenção consiste em uma despesa obrigatória a qualquer empresa de transporte.

Porém, você não deve ver esse gasto apenas como uma despesa no orçamento da sua transportadora, uma manutenção bem realizada aumenta a performance operacional de cada veículo, contribui para redução do consumo de combustível, ajuda a reduzir a emissão de gases poluentes e o mantém eficiente.

Existem estratégias específicas que são capazes de melhorar a gestão do estoque de peças, manter um excelente desempenho da frota por mais tempo e reduzir as despesas com as manutenções.
Confira como fazer a manutenção para cada tipo de veículo 👇👇👇

✔️ Manutenção de Motocicletas 🏍
São rápidas e econômicas, porém, os acidentes são extremamente perigosos para os motoristas. Por essa razão os seus componentes que devem ser revisados com frequência são:

  • 📌 Bateria: as mais modernas não precisam de manutenção, deve-se apenas limpar seus polos. Se precisar trocar a água, o líquido deve ser destilado e é necessário utilizar ferramentas próprias;
  • 📌 Cabos: ligam o acelerador, embreagem e o freio. Lubrificá-los e regulá-los é fundamental para evitar acidentes;
    correntes: verifique no manual quantos centímetros de folga deve haver nas correntes e as mantenha lubrificadas;
  • 📌 Filtro: alguns são descartáveis enquanto outros devem ser removidos e lavados com água e detergente neutro. Confira no manual qual tipo se encontra na moto, qual o procedimento a seguir, e qual a periodicidade de manutenção (em kilometragem percorrida e em tempo corrido);
  • 📌 Freios: o desgaste do freio a disco pode ser analisado a olho, enquanto os de tambor devem ser removidos e estudados minuciosamente.

✔️ Manutenção de Máquinas pesadas 🚜
Consistem em empilhadeiras, guindastes, gruas, portaineres e outros equipamentos rotineiros de carga, descarga ou construção. Recomenda-se que sejam feitas inspeções diárias, e que o cronograma de manutenção preventiva seja seguido à risca, pois em caso de quebra as suas peças são muito custosas. Fique atento aos seguintes aspectos:

  • 📌 Vazamentos: verifique os níveis de óleos e demais fluidos e se o restante do sistema hidráulico está operando corretamente, pois você pode pensar que pequenos vazamentos neste sistema não representam um problema à primeira vista, porém eles encurtam excessivamente sua vida útil, elém de poder causar acidentes com danos à carga e as pessoas ao redor – Fique atento!
  • 📌 Ruídos: preste atenção em qualquer barulho incomum, uma peça defeituosa pode gerar desgastes excessivos e estragar outras;
  • 📌 Manual: cada fabricante tem especificidades de uso e manutenção, é necessário ficar atento às especificações e instruções que constam no manual do fabricante, pois nem sempre o processo de manutenção será o mesmo;
  • 📌 Alertas: o painel pode indicar sinais de problemas. Pare seu movimento tão logo seja possível e investigue, pois pequenos defeitos podem se agravar futuramente, causando prejuízos;
  • 📌 Demais peças: fique atento ao plano de manutenção recomendado pelo fabricante, pois diversos componentes costumam ser frágeis, por isso, requerem limpeza, lubrificação e inspeções periódicas.

✔️ Manutenção de Carros 🚗
A troca das peças de carros é definida por quilometragem rodada ou pela passagem de determinado período em dias. Confira quando se deve trocar cada componente:

  • 📌 Óleo: semanalmente, retire a vareta do óleo, limpe-a e confira se a marca está entre o “mínimo” e “máximo” indicado;
  • 📌 Freios: o fluído deve ser trocado a cada dois anos, salvo indicação diferente do fabricante, já as pastilhas e lonas são substituídas quando estão abaixo da espessura mínima;
  • 📌 Correia dentada: trocada a cada 30.000 e 50.000 quilômetros, ou conforme especificado pelo fabricante;
  • 📌 Água do radiador: semanalmente você deve verificar o seu nível, que deve estar entre o “mínimo” e “máximo” apontado (muitos veículos mais modernos utilizam uma mistura de fluido e água, e outros utilizam apenas o fluido. Na dúvida consulte o manual do fabricante ou converse com seu mecânico de confiança);
  • 📌 Velas: os modelos convencionais costumam durar entre 20.000 e 30.000 quilômetros, e a sua substituição quando desgastadas é fundamental para melhorar o desempenho, aceleração e consumo de combustível do veículo;
  • 📌 Filtros: os de ar são limpos geralmente a cada 7.000 quilômetros, enquanto os filtros de combustível são trocados a cada 10.000, salvo indicação diferente no manual do fabricante;
  • 📌 Pneus: devem ser calibrados a cada 15 dias, e sempre antes de viajar. Também é muito importante fazer um alinhamento e balanceamento a cada 10.000 quilômetros, o que também aumenta sua vida útil, e outro ponto importante é o rodízio de pneus;
  • 📌 Suspensão: depende se o carro sempre atravessa piso irregular ou esburacado, por isso devem ser verificadas em oficina regularmente, pelo menos a cada 6 meses;
  • 📌 Óleo do câmbio: alguns carros não requerem sua troca, já outros devem ser trocados a cada 30.000 quilômetros, por isso, confira a indicação do fabricante;
  • 📌 Bateria: geralmente não exigem manutenção, apenas limpe seus cabos e os mantenha fixos, e fique atento ao indicador de vida útil que a maioria delas possui, que dependendo da cor, indica se a bateria encontra-se em bom estado e retendo carga ou não.

✔️ Manutenção de Caminhões 🚛
Por carregar cargas pesadas e passar bastante tempo na estrada, costumam sofrer um desgaste maior em suas peças e componentes, por isso um plano de manutenção de frotas bem elaborado é fundamental para prolongar a vida útil do veículo e preservar o investimento feito pela empresa. É comum que o manual traga o número de quilômetros a serem percorridos até a realização de cada manutenção. Porém, alguns itens devem ser revisados com uma maior frequência:

  • 📌 Filtros de ar: antecipe a troca se o caminhão passou por áreas muito poluídas e/ou estradas de chão, pois nesses casos a poeira e poluição costumam contaminar os filtros e saturá-los antes do tempo normal, o que prejudica o desempenho do caminhão;
  • 📌 Óleo do motor: cheque se o nível está correto e não apresenta sinais de contaminação sempre que possível, no mínimo 1 vez por semana;
  • 📌 Freios: devido à importância, faça uma revisão completa, pelo menos a cada 15 mil quilômetros;
  • 📌 Suspensão: se o caminhão passa por estradas irregulares, aumente as revisões, faça mais seguidamente, afim de evitar paradas indesejadas em viagem por problemas de suspensão;
  • 📌 Caixa de fusíveis: a queima de fusíveis costuma gerar muitos inconvenientes quando ocorre durante uma viagem, e você não tem fusíveis reserva e está longe de um posto ou outro local para comprar. Por isso sempre tenha alguns fusíveis reserva no veículo (recomendável no mínimo 2 de cada tipo – na dúvida consulte o manual do veículo para saber os tipos de fusíveis que ele utiliza);
  • 📌 Pneus: vistorie para identificar o desgaste, estado de conservação e calibragem antes de cada viagem, e quando estiver em uma viagem prolongada, é recomendável que no meio e no fim pelo menos seja também feita uma boa vistoria dos pneus, pois isso pode evitar prejuízos, atrasos e dores de cabeça;
  • 📌 Direção: revise a direção em caso de desalinhamento, caso contrário também desgastará os pneus e aumentará o consumo de combustível;
  • 📌 Quinta roda: Este componente junto com o “pino rei“, é vital para a segurança e a eles deve ser dada uma atenção especial, realizando o desengate do semi-reboque no mínimo uma vez por semana ou a cada 5 mil km para verificar as condições da quinta-roda, pino rei e demais componentes do sistema, assim como deve ser realizada a limpeza da mesa do pino-rei do semi-reboque, da base superior do equipamento e a lubrificação da base superior. Cabe observar que no caso veículo rodar em estradas não pavimentadas, as paradas para inspeção, limpeza e lubrificação deverão ocorrer em intervalos menores, de dois dias ou 2.500 km, ou conforme orientação do fabricante ou seu plano de manutenção de frotas.
  • 📌 Sistema elétrico: devido a importância dos sistemas de iluminação e fornecimento de energia para os instrumentos do caminhão, é de suma importância que se faça uma revisão completa de funcionamento antes de cada viagem, e providencie a imediata manutenção sempre que apresentar qualquer pequeno defeito;
  • 📌 Módulo de injeção: fique atento a qualquer alerta no painel do veículo, além disso, procure cumprir o cronograma de revisões periódicas e pare para manutenção imediatamente se ocorrer qualquer falha em viagem.

O que achou do nosso artigo sobre manutenção de veículo. A sua ferramenta de gestão possibilita fazer tudo isso? O que acha de testar grátis a solução que a Appelsoft já oferece a vários gestores de frota do Brasil? Baixe já sua Demonstração!