logo

VOCÊ ESTÁ EM HOME >

BLOG

Data de publicação: 24/05/2018

Demanda por serviços no transporte aumenta 2,2% em 2018

O início do ano foi marcado por crescimento nos setores de transporte e auxiliares aos transportes. Nos dois primeiros meses de 2018, houve alta de 2,2% na procura pelos serviços de transporte (volume de serviço). O aumento da demanda de fevereiro foi de 0,6% em relação ao mesmo mês em 2017, o que significa também uma retração de 0,3% em relação com janeiro de 2018.

Todos os segmentos, exceto transporte aéreo, registraram incremento no volume de serviços. Os dados são da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

É possível que o desempenho negativo do transporte aéreo esteja ligado, entre outros fatores, aos serviços de transporte aéreo não regular e de táxi aéreo. De acordo com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), houve um crescimento de demanda para os serviços de transporte aéreo de passageiro e cargas nos mercados doméstico e internacional.

No primeiro bimestre de 2018, a remuneração da atividade transportadora aumentou 5,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. O acréscimo da receita nominal se deve à melhora nos seguimentos de transporte terrestre e aéreo, que entre janeiro e fevereiro de 2018, tiveram alta de 6,1% e 6,4% respectivamente.

Emprego

O mercado de trabalho do setor transportador segue fechando vagas formais de emprego. De acordo com os dados do Ministério do Trabalho, os setores de transporte e armazenagem registraram redução de 5.148 postos em janeiro de 2018, sendo 4.221 relacionados a vínculos do transporte rodoviário (passageiro e cargas).

Apesar de ser negativo para o setor, esse número mostra uma redução do ritmo de demissões em relação a janeiro de 2017, quando foram contabilizados 11.961 vagas a menos para a atividade transportadora. A melhora dos indicadores econômicos e do volume de serviços apresentada pela PMS ajuda a explicar o motivo da redução do ritmo de fechamento de vagas.

Conheça um sistema de gestão de frotas que acompanha as mudanças do mercado.

*Dados da notícia colhidos no site da CNT